Outras realizações

Valquíria Gesqui Malagoli

Literatura, música, artes plásticas, saraus, oficinas e exposições

UOL

                 2º Concurso de Artes da CircuitoTeca

 

                 Novembro de 2011. Desta vez, a biblioteca circulante sem fins lucrativos idealizada e conduzida por mim e pela parceiríssima Renata Iacovino visitou a EMEB Prof. Adelino Brandão, no bairro Morada das Vinhas, em Jundiaí/SP.

                 As primeiras séries dos períodos da manhã e da tarde usufruíram por um tempo dos livros de autores diversos, todos voltados à sua faixa etária, emprestados pela CircuitoTeca. Nesse ínterim, produziram em sala de aula desenhos que muito nos falam ao coração!

                 O evento de premiação contou com brincadeiras lítero-musicais nas quais alunos e professoras se divertiram e aprenderam. Além disso, é claro, houve a entrega de certificados, medalhas e troféus.

Eu, que havia presenteado todos os alunos com meus livros da Coleção Oficinas, tive uma surpresa daquelas ao ver e ouvir o quanto criaram a partir daquelas páginas. Que artistas eles são!!!

Nossos parabéns à meninada talentosa e, em especial, à coordenadora Cinthia que, junto de sua equipe, deu um show de organização. Isso possibilitou, inclusive, uma mostra dos trabalhos das turmas umas às outras.

Para mim foi mais que um prêmio ver “A menina fala-fala” e “Sonho ou pesadelo” ganharem voz e cor pelas mãos desses, agora, coautores das obras. Meus parceirinhos, portanto!

E, falando em imagens que falam... abaixo, alguns momentos pra vocês terem ideia da realização.

                 GALERIA LITERÁRIA — Uma experiência sensorial

                 Tudo ali foi metáfora. Comprovadamente compreensível, pois, dada ao sentido.

                 O garotinho, aos olhos do pai, fez surgir fogo com um toque de seu indicativo miudinho; a mulher construiu em casa e distribuiu caleidoscópios depois que num vislumbrou uma constelação; um rapaz distinguiu sua história na biografia da poetisa; inúmeros anotaram título da obra que ouviram na voz do próprio autor; alguém enviou este e-mail: “Entre as lápides e os sepulcros dos poemas, entrevi uns fantasmas de ovos e repolhos do antigo Mercado que havia naquele lugar na minha infância, quando a minha avó morava na esquina.”; as meninas do ballet, identificadas com o novo palco, dançavam entre as instalações; abrindo e fechando potes, amassando alhos fictícios, falando “de mentira” ao telefone, inclusive num de lata, muita gente redescobriu a infância ou projetou-se a um futuro ideal sem maldade...

Adultos e crianças apropriaram-se de chão, paredes, degraus do Centro das Artes, aqui em nossa Jundiaí, durante os meses deste ano em que se deu o Projeto “Galeria Literária”, por mim e por Renata Iacovino idealizado e executado, numa realização da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura.

                 O local foi apenas mote para se alcançar o verdadeiro espaço que, este sim, não se pode mensurar: o mais profundo do ser. Foi deste lugar que os visitantes saíram revigorados. Mais que isso, as pessoas saíram de si mesmas para encontrar o Outro, chocando-se e surpreendendo-se pelo caminho consigo mesmas.

                  Subliminarmente às sensações provocadas, conhecimento era adquirido, o que denota, por conseguinte, que o exercício da racionalidade não foi negligenciado.

                 Finda a jornada, pergunto-me se os autores de renome nacional, ao invés de protagonistas, não foram mediadores, estendendo-se em versos e frases-pontes, projetando-nos de nós até nós mesmos.

Perdoem-me se venho expô-lo cá, sem meias-palavras, correndo o risco de parecer pretensiosa, mas, a felicidade e a satisfação de ter participado disto tudo me obriga.

                 Afinal, já somos íntimos; ademais... foi-se o tempo de nos deixarmos assombrar por riscos assumidos.

                

Valquíria Gesqui Malagoli

Teatro